Postado por Carolina Filisberto em Livros, Resenha

Nunca havia lido nada da Editora Darkside até o primeiro volume da série Entre o amor e o ódio, The Kiss of Deception, e depois desse livro, estou encantada pela editora!

The Kiss of deception conta a história de Lia, uma garota de 17 anos que é obrigada a se casar com um príncipe de outro reino para unirem forças dos reinos. Não aceitando o destino imposta para ela, Lia foge e com a sua fuga, duas pessoas vão atrás dela. Um assassino e o príncipe.

Já imaginamos uma história similar com outros tipos de livros e sim, existe algumas características que são parecidas, mas o que difere a história é o mistério que a autora coloca no livro. Com capítulos alternados, iremos tentar adivinhar quem é o assassino e quem é o príncipe e o que os dois querem com a princesa. Admito que eu caí que nem um patinho nesse mistério e fazia tempo que eu li um livro que eu ficasse surpresa e neste quesito, Mary E. Pearson merece uma salva de palmas!

Outro ponto positivo (talvez, a melhor parte do livro) é a Lia. Com a sua coragem de buscar a realização de trilhar seu próprio futuro, não se importando com o que os seus familiares a obrigaram fazer. Um exemplo de empoderamento, pois podemos ver que ela tem medos, receios e dúvidas, mas mesmo assim ela acredita em si mesmo.

Já o príncipe e o assassino foram ótimos personagens até a metade do livro, mas depois, um personagem se perdeu, tornando ambos similares em suas realizações e pensamentos, fazendo com que a autora deixasse o romance em um patamar na construção dos personagens que não era necessário. Já que o foco da segunda parte não era o romance, mas sim a questão política, ela poderia ter se distanciado um pouco mais do romance e ter trabalhado um pouco melhor no pessoal de ambos personagens.

O romance é bacana, mas a partir de um momento, se torna meio cansativo esse triângulo amoroso, mas cada personagem, individualmente, conquistou um pedaço do meu coração (sou team Lia, melhor personagem, apesar de fazer algumas besteiras no decorrer da história).

À questão política foi começando com enigmas e depois começamos a descobrir o início do universo que a autora criou. O que deixava aquele gosto de tentar entender algumas frases enigmáticas. Foi uma ótima introdução para os dois últimos livros, pois já conseguimos contextualizar os problemas. Não posso fazer comparações pois li poucos livros medievais, mas gostei dos conflitos criados pela autora, só achando um pouco perdido o dom da protagonista neste livro (espero que seja mais explorado nas continuações).

Apesar de ter a união de fantasia, distopia, romance e personagens cativantes (principalmente os secundários), a leitura foi arrastada. Com mais de 400 páginas, o livro é narrado de forma lenta e com algumas cenas muito descritivas, tornando a leitura cansativa, principalmente da metade para o final.

Infelizmente, o livro – apesar de ter uma história incrível – não me cativou e não superou as minhas expectativas, que estavam altíssimas, pois só lia resenhas positivas e com 5 estrelas. Acredito que o que me desanimou no decorrer da leitura foi o fato de estar com altíssimas expectativas, então a minha dica é: Leia se você goste de romance, com histórias medievais e fantasias, mas tente acalmar as suas expectativas!